terça-feira, outubro 26, 2021

Após latrocínio, família mantém tradição de vítima e entrega doces para crianças: ‘Continuar o legado’

Leia Também


Autônoma morreu após ser baleada em frente ao box de comida da família em Itanhaém (SP). Família decidiu continuar com ação voltada para crianças que vítima promovia todos os anos. Após latrocínio, família mantém tradição de vítima e entrega doces para crianças em Itanhaém, SP
Arquivo pessoal/Duyana Watanabe
A família da autônoma Alessandra Tomie Watanabe Kokubun Fagundes, de 41 anos, entregou um kit de doces e salgadinhos para crianças em Itanhaém, no litoral de São Paulo, neste sábado (9). Alessandra morreu em um latrocínio na cidade no início deste mês, e todos os anos promovia a boa ação. Familiares afirmam que mesmo em um momento de dor, quiseram continuar o legado da autônoma.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
Segundo a prima da vítima, Duyana Watanabe, a comerciante fazia essa ação voltada para crianças desde 2010, e estava planejando fazer novamente neste sábado, na Casa da Vida Padre Carlos Cavina, um projeto que ajuda crianças e jovens da área rural de Itanhaém.
“Ela iria comprar as coisas nesta última semana, mas não deu tempo. Como sabíamos que ela tinha essa missão, nos organizamos para fazer no mesmo lugar que ela iria fazer esse ano. Isso nos deu força, ver as crianças ali, fazer a compra, sempre pensando no que ela acharia. Tudo coisas boas, porque ela sempre prezou pelos detalhes”, afirma.
Após latrocínio, família mantém tradição de vítima e entrega doces para crianças em Itanhaém, SP
Arquivo pessoal/Duyana Watanabe
Fazer a entrega no local programado ainda em vida por Alessandra, segundo Duyana, foi um conforto para a família após o crime que vitimou a autônoma. “Foi importante saber que a gente vai continuar o legado que ela deixou. E a ideia é manter a ação todos os anos, trazendo mais brincadeiras para as crianças no ano que vem”, diz.
Duyana também afirma que no centro social em que a família foi entregar o kit de doces e salgadinhos, será plantada uma árvore em nome de Alessandra, como forma de homenagem.
Entregas foram feitas para crianças por familiares de Alessandra em Itanhaém, SP
Arquivo pessoal/Duyana Watanabe
Pais de Alessandra também estiveram presentes em ação social, que era todos anos promovida por filha
Arquivo pessoal/Duyana Watanabe
O crime
Alessandra foi baleada na frente do estabelecimento de comida da família, na Praça Benedito Calixto, no Centro, por volta das 22h de sábado (2). O local fica a 350 metros do 1º DP da cidade. Ela estacionou o carro e, ao sair, foi cercada por cinco criminosos, que anunciaram o assalto. A vítima foi atingida com um tiro na cabeça e outro no abdômen.
Leia também:
Grupo protesta por segurança na Câmara Municipal após mulher ser morta por 5 em assalto em Itanhaém
Post de mulher morta por 5 no litoral de SP viraliza após crime: ‘A vida é um sopro’
Delegado fala em ‘violência extrema’ após sete serem mortos em assaltos no litoral de SP em apenas 2 meses
Após o crime, o bando fugiu em dois carros, sendo um deles o da vítima. O veículo dela foi abandonado e incendiado na Rua Vinte e Um, no bairro Bopiranga.
Tomie Kokubun morreu após levar um tiro na cabeça durante um assalto em Itanhaém
Reprodução/Redes Sociais
Tomie foi levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itanhaém, já desacordada, mas não resistiu aos ferimentos. O caso foi registrado como latrocínio na Delegacia Seccional de Itanhaém e é investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) da cidade.
Dois menores foram apreendidos na última segunda-feira (4) por suspeita de terem participado do latrocínio. Segundo a Polícia Civil, outros três suspeitos foram identificados, e as equipes trabalham para localizá-los.
A morte da autônoma é o segundo latrocínio ocorrido em Itanhaém em pouco mais de uma semana. No dia 24 de setembro, uma adolescente e um pedreiro morreram durante um assalto a uma residência. A mãe dela e a irmã também ficaram feridas com disparos, e ficaram internadas.
Carro da vítima foi encontrado incendiado por equipes da Polícia Militar em Itanhaém, SP
Reprodução
Prefeitura
O prefeito Tiago Cervantes (PSDB) também se pronunciou sobre o caso por meio de uma nota oficial, divulgada pela assessoria do município. Ele lamentou o crime e disse que vai cobrar as autoridades estaduais. Durante a tarde, o município informou que imagens de câmeras de segurança vão ajudar na identificação dos suspeitos.
Segundo a Prefeitura de Itanhaém, câmeras de monitoramento da Central de Operações e Inteligência (COI) capturaram imagens do veículo dos criminosos, que seguiram, na região central da cidade, o automóvel da empresária.
De acordo com a administração, é possível ver os criminosos contornando a Praça Narciso de Andrade e depois seguindo pela ladeira da Avenida João Batista Leal. Depois do crime, eles fugiram pela região do bairro Baixio, invadindo um trecho na contramão da Rua João Batista Leal, para acessar a passagem de nível da linha férrea, que dá acesso à Rua Urcezino Ferreira.
Segundo a administração, o prefeito se reuniu na Capital com o secretário estadual da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos. Cervantes apresentou as demandas da cidade e, entre as reivindicações, tratou da reposição do efetivo da Polícia Militar, mais viaturas, operações frequentes do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) e integração dos sistemas de monitoramento por câmeras da prefeitura e da PM; além da integração regional no monitoramento, sobretudo na utilização do Sistema Detecta nas câmeras do Sistema Anchieta-Imigrantes.
Prefeito de Itanhaém emitiu uma nota de repúdio após morte de autônoma na cidade
Reprodução
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Powered by the Echo RSS Plugin by CodeRevolution.

- Advertisement -spot_img

Mais Notícias

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -spot_img

Notícias Recentes