terça-feira, outubro 26, 2021

Pandemia faz busca por tripulantes brasileiros para navios de cruzeiro crescer

Leia Também


Oportunidades de vagas aumentaram bastante com o anúncio da temporada brasileira. Garçom em navio da MSC Cruzeiros
Divulgação/MSC Cruzeiros
As agências de recrutamento e seleção estão a todo o vapor à procura de ex-tripulantes e novos candidatos qualificados para trabalhar em navios de cruzeiros. Várias companhias já retomaram as operações na Europa e Estados Unidos e, no Brasil, a nova temporada começa em novembro no Porto de Santos, no litoral de São Paulo. Para garantir o emprego, ganhar em dólar e viajar pelo mundo é preciso se qualificar e se preparar emocionalmente para encarar o trabalho a bordo.
A temporada brasileira 2021/2022 deve gerar cerca de 35 mil empregos diretos e indiretos, segundo a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos. Apenas em Santos, onde fica o maior porto do país, a estimativa da prefeitura é de contratação de cerca de cinco mil pessoas para o setor.
Carolina Coelho, diretora de uma agência especializada em recrutamento e seleção de tripulantes diz que as contratações de tripulantes de cruzeiros ocorrem o ano inteiro, mas agora, nessa retomada e com a confirmação da temporada brasileira, as oportunidades de vagas aumentaram bastante. Em média, seis vezes mais.
“Das três companhias que atendemos, por ano, estávamos recrutando 800 pessoas. Nesse ano, já chegamos a 1.500 pessoas. O que aumentou foi o número de vagas para brasileiros. Eles viram que durante a pandemia não é legal ter muitas nacionalidades e eles decidiria mesclar. Eles querem aumentar isso, diversificar”, falou.
Candidatos à tripulantes de navios de cruzeiros podem se qualificar por meio de cursos online
Divulgação/Deck 4
Segundo ela, a exigência de que de 10% a 15% do quadro de funcionários dos navios na temporada brasileira sejam ocupados por tripulantes brasileiros, também contribui para a maior procura por parte das operadoras. Além disso, grande quantidade de filipinos e indianos, que geralmente eram contratados para atuar em diversos setores dos navios, ainda sofrem com restrições por conta da situação da Covid-19 em seus países.
As companhias dão preferência para quem tem as duas doses da vacina contra a Covid-19 ou recomenda que os tripulantes se vacinem a bordo. “Cerca de 80% dos tripulantes estão vacinados com as duas doses. Ficamos até surpreso com a vacinação deles (brasileiros). Temos muitos embarques em outubro, mas por estarem embarcando, eles conseguiram antecipar a segunda dose. O pessoal já está embarcando na Itália para vir para cá”, disse ela.
A maior oferta é sempre para os departamentos de cozinha, restaurante e limpeza. Os salários para brasileiros em diversas funções vão de R$ 3.000 até R$ 12.000, pagos em dólar ou euro, com alimentação, acomodação e serviço médico inclusos, além da possibilidade de crescimento profissional.
Segundo Carolina, muitas companhias começaram o recrutamento em maio ou junho. Todo o processo é online e as pessoas são escolhidas no Brasil todo. “Hoje temos mais vagas do que candidatos. Tem vagas que não tem candidatos. As pessoas têm que buscar qualificação”, afirmou.
Professores ensinam habilidades que podem ser aproveitadas dentro de um navio de cruzeiros
Divulgação/Deck 4
Qualificação
A plataforma de educação a distância Deck4 realiza a formação de tripulantes de navios. Durante a pandemia, os cursos que eram oferecidos de forma presencial migraram para o meio digital e agora atendem pessoas do mundo todo. Os cursos são ministrados por professores do mercado da hotelaria marítima no mundo, utilizando uma metodologia que já formou mais de 18 mil profissionais.
Dentro da plataforma, os futuros tripulantes aprendem a executar diferentes funções da área de hotelaria como formação profissional, restaurante, governança, cozinha e de bar, além de um módulo completo sobre Covid-19, com as principais diretrizes e protocolos adotados pelas empresas de cruzeiros de todo o mundo.
Professores ensinam habilidades que podem ser aproveitadas dentro de um navio de cruzeiros
Divulgação/Deck 4
“Eles tem acesso a todas as formações necessárias para que um tripulante consiga concorrer a uma vaga. Ele tem mais opções de qualificação. Ele passa por todos os setores da hotelaria, é bastante amplo”, diz Fabrício Brito, há 20 anos no ramo e que é cofundador da empresa.
Além da parte prática, o aluno é preparado para viver dentro de um navio de cruzeiros. “O mais importante é que um bom tripulante saiba trabalhar com as competências socioemocionais. Preciso de uma camareira que saiba respeitar a diversidade, seja pontual, caprichosa, respeite as ordens. […] Tudo é novo, se ele não estiver psicologicamente preparado, ele abandona o navio na primeira viagem”, explica.
O aluno também recebe orientações de como procurar empresas do ramo, fazer um currículo e se comportar em uma entrevista com as agências de recrutadores, que são parceiras da plataforma.
“A oferta de vagas, a procura de tripulantes cresceu 50%. Muitas companhias inauguraram navios novos todos os anos, maior capacidade de hóspedes e tripulantes. Muitos tripulantes, que retornaram e ficaram um ano e meio fora por conta da pandemia, entenderam que não querem voltar mais. O lugar que seria dos veteranos acabou dando chance para outros de primeira viagem”, disse.
Garçom em navio da MSC Cruzeiros
Divulgação/MSC Cruzeiros
Temporada brasileira
A temporada nacional de cruzeiros 2021/2022, que foi aprovada pelos Ministérios da Saúde, Justiça, Infraestrutura, Turismo, Casa Civil e a Embratur, deve trazer um impacto de R$ 2,5 bilhões na economia nacional, R$ 330 milhões em impostos e gerar cerca de 35 mil empregos diretos e indiretos.
Os dados são da CLIA Brasil – Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos – braço nacional da Cruise Lines Internacional Association, maior entidade do setor de cruzeiros. Os protocolos sanitários serão detalhados e ainda definidos pela Anvisa.
A temporada 2021/2022 no Brasil tem a previsão de começar no dia 31 de outubro de 2021 e terminar em 19 de abril de 2022. Sete embarcações serão responsáveis por ofertar 566.280 leitos totais – cerca de 36 mil a mais que na temporada 2019/2020, que contabilizou 530 mil acomodações. Ao todo, serão 552 escalas em 19 destinos. Dos 6 roteiros programados, sendo quatro nacionais e que partem do Porto de Santos.
Dois roteiros são internacionais, com passagens pela Argentina e Uruguai, mas ainda não foram autorizados. A CLIA Brasil informou que segue trabalhando com os Ministérios para que a portaria também aprove os cruzeiros internacionais com rotas pela América do Sul.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Powered by the Echo RSS Plugin by CodeRevolution.

- Advertisement -spot_img

Mais Notícias

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -spot_img

Notícias Recentes